sexta-feira, agosto 22, 2008

SP – Pavlovsk

Depois do palacio de Catarina, nao foi nada facil encontrar um bus que nos levasse a Pavlovsk, palacio do imperador Paulo I, filho de Catarina.
Entrada para o parque ou para o palacio? Parque. E para o palacio? ... ... ... mais uma vez, a simpatia extrema da senhora da bilheteira.

La’ fomos para a fila, sem perceber bem se era ali. Sem perceber porque havia sempre pessoas, familias e grupos que passavam ‘a frente. A espera tambem foi dolorosa, mas desta vez estavamos resguardados do sol. Finalmente la’ dentro, nem se percebeu bem se compramos os bilhetes certos.

Outra vez as proteccoes dos pes, outra vez um guia russo. Desta vez a tecnica para escapar do “entusiasmo” e “rapidez” com que a guia explicava cada sala, iamo-nos escapando para o grupo da frente e assim avancavamos mais rapidamente.

Sempre muitos dourados, marmores, chaos e tectos muito trabalhados e bonitos, muitas esculturas, muita riqueza.

Depois um passeio pelos jardins perfeitamente gigantes e a apetecer qualquer coisa como um carrinho de golfe para ajudar ao passeio.

Templo da amizade.

Para regressar ‘a cidade, uma razoavel fila para apanhar os mini-buses. Depois aquela “organizacao”, chega o bus, as pessoas entram pela porta da frente e de tras e nos ficamos ‘a espera do seguinte...