segunda-feira, setembro 05, 2016

Dubai voo

Nos tempos idos de Junho passei um fds alargado no Dubai, com visita de um dia a Abu Dhabi. Depois meteram-se auditorias e mudança de casa e não tive tempo de escrever posts…
(No aeroporto comprei um livro juvenil que me deu conhecimento em detalhe da cultura local, ficou mais interessante e gostei de aprender sobre os emirados.)
Os Emirados Árabes Unidos são compostos por Dubai, Abu Dhabi, Sharjah, Ajman, Umm Al Quwain, Ras Al Khaimah e Fujairah. Cada emirado tem um Sheikh, sendo o presidente o Sheikh Khalifa que governa o emirado maior, e capital, Abu Dhabi (onde abunda petróleo…). No total são cerca de 9 milhões de residentes, mas apenas 15% são locais, o resto são muitos expats de todo o mundo. A religião com maior presença é o Islamismo, os emiratis são muçulmanos e rezam nas mesquitas. Apesar de a língua oficial ser Árabe, fala-se e escreve-se em Inglês em todo o lado.
No antigamente, o Dubai era uma vila piscatória no golfo arábico, onde se colhiam pérolas. Depois os Japoneses descobriram como cultivar pérolas artificialmente e este negócio decaiu e terminou. A partir de 1894, o Sheik declarou isenção de impostos aos mercadores estrangeiros, algo que se mantém até hoje… em 1966 descobriram petróleo no Dubai e a vida local mudou muito, expansão geral…
Tinha alguma curiosidade em conhecer, achava que devia ser como Las Vegas no médio Oriente. E seria conhecer um bocadinho da região num local seguro, sem conflitos e tolerante, nomeadamente para visitas femininas.
Mas um motivo mais forte era poder viajar no A380, o passarão de 2 andares J e já agora estrear outra companhia aérea, a Emirates – do Dubai, que tem sempre boa fama de serviço exemplar.
Mesmo só podendo ver o andar normal (ainda perguntei mas não deixaram visitar o andar superior), dá para ficar impressionado com o espaço, com a elegância, com a wc, com o menu completo (ao qual já não estamos habituados), o serviço simpático e profissional (embora não tenha achado que fossem além do esperado, atenciosos sem exceder). Fez pena os voos estarem bastante vazios, mas dava para não ter 3ª pessoa ao lado e poder ir à wc ou à copa sem vergonha de incomodar o passageiro vizinho.
Umas 7h que passam rápido com a escolha quase infinita de filmes, documentários, música, jogos e etc do ecrã de grandes dimensões para cada passageiro. E sempre com a hipótese de acompanhar o voo nas 3 câmaras, nas “rodas”, no “nariz” e na “cauda”. Tem ainda mais piada na aterragem ou descolagem. E dada a dimensão do avião sente-se muito menos a diferença de altitude abrupta, é tudo muito suave e pacífico!
O aeroporto do Dubai (com o maior tráfego do mundo) era gigantesco, tectos enormes, muito espaço livre, estrutura moderna, funciona bem. A Emirates tem o maior número de A380 e B777 em todo o mundo… No Dubai é sempre a bater records em qualquer categoria. Apanhei um táxi para o hotel que, atendendo à distância e comparando com Amesterdão, se pôde considerar barato.