segunda-feira, setembro 12, 2016

Dubai shoppings

Já que o hotel tinha ligação directa ao shopping, foi lá que comemos maioritariamente, no Carrefour para snacks e na zona de alimentação tapada/ escondida, mas a funcionar em pleno. Muitas especiarias, variedades de tâmaras e frutos secos, biscoitos e doces para quebrar o jejum ao final do dia.
Nem todas as áreas estavam abertas e algumas lojas dos corredores estavam em modo take-away, com as montras e anúncios devidamente cobertos para respeitar quem estava em modo Ramadão. Durante o dia ouviam-se os anúncios de reza e, quando era o das 7 e picos da tarde, era sinal do pôr-do-sol e já estavam as pessoas no restaurante ou em fila prontos a comer. Portanto o jantar era descontraído sem ter de esconder.  
Tanto o mall of the emirates como o dubai mall (adivinhe-se… shopping e local de entretenimento maior do mundo) tinham muitas lojas convidativas, espaços de luxo, atrações fora do comum, wifi gratuito e dimensões gigantescas.
Pista de ski (claro que é o parque de neve artificial maior do mundo) com uma descida enorme (5 pistas), para contrastar com os 30 e muitos graus de calor na rua. Patinagem no gelo em ringue de tamanho olímpico, cascatas, aquário gigante (com a “janela” de visibilidade maior do mundo…) com tubarões, raias e muitos peixes diferentes.
Lojas de todo o mundo, vantagem de ser um local sem impostos e com muitos expats. Mas foi uma desilusão em termos de compras, em época de saldos na Europa e América, estava com esperança de mega saldos mas nada disso, poucas promoções e preços base muuuuuuito caros. Se tivesse o ordenado duplicado e não pagasse impostos se calhar achava barato, porque os locais e alguns turistas andavam cheios de sacos…