terça-feira, maio 30, 2017

RJ Favela Vidigal – Morro dos 2 irmãos p1

Marcámos visita à favela do Vidigal e subida ao morro dos 2 irmãos, com guia. Foi um dia muito feliz que vou recordar com carinho.
O Vidigal era para ser um bairro fino, tem escolas privadas, tem edifícios caros, tem festas de gente milionária e aparece nas revistas (por coincidência, a capa da Vogue Homme do mês tinha modelos masculinos numa varanda de moradia, cuja vista era precisamente a partir do Vidigal).
Mas com o tempo foi favelizada, cresceu, teve os problemas do costume, mas está agora pacificada, e é preferível usar o termo “comunidade”. A UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) está logo na entrada com um carro de patrulha, outro na 1ª base a “meio” da favela e teria outra estação lá mais para cima, mas não subimos até ao topo. 
Para subir, ruas muito íngremes, encostas acima, há várias hipóteses: a pé (óptimo exercício, mas bastante demorado), de moto-táxi (condução aventureira algo perigosa, pneus carecas, capacete com muitas cabeças enfiadas por dia) ou de van (mais caro, mais confortável, mais seguro). O “chato” da carrinha, é que os srs ficam à espera que encham todos os lugares para rentabilizar a subida. Por 3.5 reais por passageiro, passado uns bons 20min decidimos comprar os 2 lugares restantes, estamos a falar de cerca de 1.05 eur por pessoa... vamos a isso! 
A van deixou-nos num ponto acima da 2ª base da UPP, pelo campo de desporto e entrámos no percurso. E que bom era estar na natureza, verde, diversividade, vida! Vimos logo vários macaquinhos sagui-mico estrela. Ao fundo, em morro alheio, viam-se árvores prateadas, embaúba, que são ocas por dentro e vivem em simbiose com colónias de formigas, e dizem que as preguiças moram em cima delas, mas não temos confirmação. Árvores de jaca, aquela fruta particular com mau cheiro, que não pertence a estes lados mas deu-se bem na área e proliferou. Olha urubus! Medo?...


Fiquei muito impressionada com a vista da Rocinha, das favelas mais conhecidas, terá cerca de 20k pessoas, o Rio terá uns 7M de pessoas. É enorme, várias encostas, ramificações, veredas, inúmeras casinhas... o que achei mais curioso foi... o som... de uma cidade quase em tamanho de lego, àquela distância, cheia de vida mundana... mas com aquela sensação de estar “perto” de perigo. E ouvimos um som, a que não demos importância, na subida. Nas descida ouvimos mais sons seguidos, se calhar eram tiros, que se fossem de algumas armas mais específicas poderiam ter alcance até ao sítio onde estávamos. Mas foi melhor não pensar nisso, nem ficar à espera de ouvir mais... 
Chegando ao ponto mais alto, continua-se um pouco mais até se ter a vista, absolutamente maravilhosa... Ipanema, Copacabana, Pão de Açúcar, Corcovado... a lagoa em forma de coração! Tivémos meteorologia de todos os gostos, nublado, nuvens, chuva... depois abriu e fez sol. Continuava a fotografar, era muito muito bonito!

1 Comments:

At 12:12 da tarde, Blogger Tiago Tavares said...

Lindo! É mesmo a cidade mais linda do mundo! (depois de Lisboa... hum... ok) Gostava de subir a essa vista, mas não sei se teria tom... coragem para domar as vertigens. E vale a pena conhecer uma fav... comunidade por dentro e ver que é mais normal do que se pensa (nós fomos à Rocinha).

 

Enviar um comentário

<< Home