segunda-feira, junho 12, 2017

São Petersburgo 2017

Sendo a 3ª visita a St Pete, 2ª em trabalho (posts da 1ª visita em 2008), já não estava a planear muitos passeios. O trabalho não era pouco, os dias eram longos, jantares tardios, durante a semana pouco deu para espairecer. Passei lá um fds, sábado fui a Moscovo e Domingo dei um giro pela cidade, na metade do dia em que estive activa. 
Houve uma noite em que jantei sozinha, portanto foi coisa rápida, e como os dias são grandes, deu para um passeio a pé pela cidade (+ de 5km) para rever os marcos importantes. Passei na igreja “Holy Righteous Simeon and Anna the Prophetess”, atravessa-se a ponte e vê-se o “Ciniselli Circus”, passei à porta do museu Russo de Etnografia, seguido do museu Russo. Continuando pelo quarteirão, temos a igreja “Savior on the Spilled Blood”, colorida e muito peculiar. Quem diria que tirar uma selfie é tão difícil?...
Segui até à praça do palácio Hermitage, imponente, com bandeiras de muitos países (não sei o motivo), e lá fiquei à espera que a bandeira nacional abanasse com o vento para ficar mais visível e bonita na foto J
Jantámos duas vezes no Terrassa, menu (disponível online) com demasiada escolha, com fotos para ajudar e que faz parte do projecto Ginza. E tinha a vista maravilhosa da catedral Kazan, com luz de dia e de noite. Também jantámos no Moskva, o mesmo conceito, fácil para turistas e grupos grandes.
E o que andei a comer? Bife tártaro, adjarian khachapuri (prato tradicional da Geórgia, uma espécie de pizza com ovo estrelado em cima), qutabs (espécie de panquecas dobradas ao meio com recheios variados, cogumelos, batata, “verde”), bife stroganoff... haverá mais posts com mais comida, não foi só isto!
No hotel, no pequeno almoço, variavam algumas coisas e duas ou 3 vezes tiveram “paschle de nata”, eram bonzitos mas não crocantes e massa diferente, sabor quase lá... alguém que comece a exportar pastéis de nata para a Rússia, há mercado! Provei o bolo de camadas com mel “Medovik”, comprei no supermercado. Era bom mas difícil de comer sem colher/garfo, a dentada não dava para todas as camadas... faltou provar o Napoleão, seria mais doce mas de aspecto semelhante.
Tive encomendas de vodka, trouxe um Beluga, um Standard gold e um “Russo vermelho”. E também há lá joaninhas comestíveis!