segunda-feira, junho 26, 2017

Parque Walibi

A Holanda tem muitos parques temáticos, uns mais infantis, outros menos. O Walibi tem para todos os gostos, não é gigante e faz-se bem num dia, com tempo de repetir os preferidos, várias vezes. Era para ir c uma amiga, 2h e tal de transportes, mas naquela conversa de “planos de fds?” descobri mais 2 colegas “fanáticos” por montanhas russas. O 5º não era fã mas não se importava de ir e tinha carro da empresa, vamos a isso!
Chove-não-chove, comprei bilhetes online, incluindo o parque (recomendo esta opção, porque no fim do dia a fila para pagar na máquina era pouco convidativa!) e tivémos sorte, pouca gente.
Houve uma espera mais demorada de quase 30min, mas de resto foi quase sempre rápido.
Começamos pelo Robin Hood, feita de madeira, por isso faz mais barulho e treme muito, até me apetecia tapar os ouvidos! Faz lembrar a do Indiana Jones na Disney em Paris.
A montanha russa mais alta e mais rápida (106km/h) do país é o Goliath. Não sou capaz de levantar os braços, mas a maioria fazia-o com gosto! E para quem gosta era a preferida!
O express platform 13 deixou-me uma memória nova, dos 0 aos 90km/h em 3seg! Senti-me como na guerra das estrelas quando arrancam e vemos as estrelas a ficarem em linhas... irra, muito muito rápido e sente-se bastante!
O Condor tinha a diferença de ir com os pés/pernas livres, mas também muitas cambalhotas, parafusos e “cabeçadas” nas proteções almofadadas.
O Speed of Sound era pequeno mas rápido, 1º faz-se de frente, e depois de costas... quando íamos à 2ª ronda, ouvimos um estrondo e vimos a carruagem parada na subida... antes de começar a volta para trás. E lá ficaram uns bons 20min senão mais... depois vimos um operador a ir lá. E eventualmente subiu até ao fim e fez a volta inversa. Mas perdemos vontade de repetir...
O Lost Gravity é recente, de 2016, apenas 87km/h tem muitas curvas, parafusos, cambalhotas... só fiz uma vez mas houve quem fosse 3x de seguida!
O Crazy River tem 524m e envolve água, uns splashes que não fazem mal a ninguém, calminho e com a sensação de estar num parque aquático!
Também nos sentámos na roda gigante para apreciar a vista do parque.
Havia outras coisas para os mais pequenos, dá para a família toda.
Levámos snacks e há lá comida, pouco saudável e não muito barata, como costume. WC limpinhas, o mapa ajuda a guiar pelo parque, que também tem várias áreas de descanso e árvores com sombra.
Gostei, mas (não sei se é da idade...) fico tonta depois de algumas voltas e preciso de descansar. Não é enjoada a querer vomitar, nem medo, mas aquilo abana o cérebro... Não fiquei com nenhum preferido, cada um tem as suas particularidades.

Próximas aventuras do grupo, talvez um parque na Alemanha ou em Barcelona...