terça-feira, abril 19, 2016

8 anos e picos – p2

Mas também não sou turista… 
1. Tenho 1 (3) bike(s).
2. Se disser gezellig é de propósito para ilustrar o sentimento local.
3. Heineken há em todo o lado mas não é a preferida.
4. Não corri os museus todos do país mas já visitei muitos em várias edições de cartões dos museus.
5. Atendimento ao cliente é um encolher de ombros, embora possa haver excepção e motivo de espanto se for bom.
6. Corri os parques todos logo no início, mas o Vondel é o mais perto geograficamente, por onde passo mais de bike.
7. O tempo ainda é motivo de conversa, aprende-se a aproveitar mais e melhor quando é bom, a dar valor ao aparecimento da estrela amarela que às vezes traz calor.
8. Melhor manter a mão no corrimão e fazer várias viagens acima e abaixo para evitar (mais) quedas.
9. As praças mais concorridas de turistas têm muitas opções e estão abertas até mais tarde, mas há mais locais a explorar.
10. Já não me esqueço mas tenho de (re)re-repetir às visitas que não se esqueçam do pip à saída do tram…
11. Acho que como cada vez mais arenque… é um snack bom se estiver no mercado e vier a fome… com zuur e menos uitjes
J

Ser expat é viver numa bolha, entre cá e lá, esta casa e a outra casa, estamos bem aqui e estamos bem lá, depende das saudades da família e amigos, comida, paisagem e o tempo. Por cá temos uma família de amigos sólida, que custa acreditar não os ter conhecido antes e custa pensar que se sair os perco. Embora com os anos há uns que tenham ido para outros destinos, seguido de novos que aparecem, e o ciclo de novidades e descobertas não acaba. 

Há muitas opções e liberdade. Acho que sou a única que mantém o tm tuguês sempre ligado e vai com mais frequência a PT, mas a resposta continua a ser a mesma, vou ficando sem data prevista de mudança, partida ou arraial assente em terra fixa. Continuo a alimentar a lista de sítios para visitar, novos restaurantes, a cidade renova-se e nunca foi aborrecida. E o blog continua…

Se este é o cérebro Holandês, como é o nosso? Continuo sem saber como são os estereótipos sobre os Portugueses... falamos e pensamos em comida a toda a hora. Chegam atrasados (é o que se diz por cá). Queixam-se de tudo, “vai-se andando”, nunca se está bem. Que mais?...