quinta-feira, março 12, 2009

Passagem de ano em Amesterdão

(Post muito atrasado)
Parece que se gastaram 65M eur em material de comemoração do novo ano, muitos tipos de bombinhas, fogo de artifício, foguetes, etc. É a loucura generalizada, parece que perdem o senso comum e deixam de ser forretas. Com cerca de 16M de pessoas, dá muito dinheiro a cada um para gastar, geralmente na ordem das centenas de euros. E perdem a noção da segurança e parece um carnaval descontrolado. Em vez de andar na rua com receio de apanhar um balão de água, vou na bicicleta com receio dos miúdos que nos fazem de alvo, atiram bombinhas e assustam-nos, podem provocar quedas e furos de pneus.

Na noite da passagem os pais dão os foguetes aos miúdos para atirar da janela, passam-lhes o material para acenderem as “fitas” de bombinhas, um perigo. Parece que a cidade está a ser bombardeada, e acontece mesmo no meio da rua, como se fosse uma comunidade, mas depois parece que há concorrência a ver quem tem os foguetes melhores ou que sobem mais alto ou que duram mais tempo ou que fazem mais barulho. E são ilegais, acho que compram na Bélgica.
Estava muito frio e não dava para ficar na varanda muito tempo sem gelar. Mas de qualquer modo era tanto o barulho que também se corria o risco de ficar surdo...

As bombas começaram depois do Natal e ainda se ouviam depois do ano novo começar. São doidos... Mas também não são únicos. Segundo o PM, em Berlim era igual. Nesse dia era permitido comprar o material, e então era vê-los no metro carregados de “bombas” debaixo do braço, um perigo inconsciente...
Gosto muito de fogo de artifício, mas prefiro-o como espectáculo organizadinho...