segunda-feira, janeiro 24, 2011

RD Cbrt – Transportes


Depois do avião e do transfer, largadas na praia de Cabarete, se quisermos ir para além dos passeios a pé há:
Motoconchos, motorizadas velhas, que levam 1, 2 ou 2.5 pessoas (2 adultos e 1 criança) na parte de trás… tudo sem capacete, e com cuidado onde se colocam os pés para não levar com o tubo de escape.

Um perigo, que não queríamos enfrentar mas teve de ser mais tarde (post futuro). Até foi engraçado, e para entrar nos bairros “de lata” com caminhos de terra e poças de lama, bicicleta não dava e autocarro também não. Preço negociável, mas não fomos nós que pagámos.


Guagua, carrinhas que fazem o percurso entre 2 cidades e vão parando onde há passageiros, a entrar ou a sair. Pode ser de 5 em 5 metros… cabe sempre mais um, o rapaz à porta, muitas vezes vai pendurado, ordena: tu sai daí, o sr senta-se ali, vá mais um jeitinho para esta sra… contámos 24 pessoas numa carrinha de 15 lugares!

Todos colados, tortos, uma ginástica para sair ou entrar alguém. Preços também variados para turistas e locais, é preciso é saber e negociar. De qualquer modo é muito barato.
Táxis também se negoceiam mas não apanhámos.

Os carros em geral são bons e modernos. Mas muito poluentes… um cheiro e fumo que se nota assim que nos aproximamos da estrada. Duvido que haja inspecções periódicas!

Dentro do guagua: