sexta-feira, janeiro 19, 2018

Exposição de Christian Dior

O objectivo de ir a Paris era ver a exposição de Christian Dior (Couturier du rêve), que acabava no 1o Domingo do ano, no Museu das Artes Decorativas.
Comprei bilhetes para sábado com hora marcada, mas foi uma confusão... fila enorme, gente a debater-se para entrar, muitos prioritários (aparentemente todos inválidos) a passar à frente... uma entrada pouco elegante... e estava bastante cheio lá dentro.
Notas históricas das vida do criador, desenhos originais, mini-vestidos, acessórios, peças de arte que terão sido usadas pela alta sociedade há várias décadas.
Muitas cores, muitos padrões, tecidos, texturas, experiências, influências de viagens pelo mundo fora, cortes assimétricos, vestidos de baile, de princesas... perfumes, sapatos, malas.
Inúmeros detalhes inspiradores, um bocadinho diferente do design que eu fazia com os trapos da minha tia modista, nos vestidos para as bonecas, só ligeiramente mais profissional e criativo J
Depois as versões dos criadores sucessores, como Yves Saint-Laurent, Gianfranco Ferré, John Galliano, Raf Simons (gostei muito de ver o documentário “Dior and I” sobre o processo que antecedeu a sua 1ª apresentação, um “behind the seams”) e agora Maria Grazia Chiuri, uma senhora!
Com música e efeitos luminosos, “chuva de ouro”, Dior = “Dieu d’Or”, foi uma manhã bem passada e muito bonita!