sexta-feira, outubro 21, 2016

Dessert bar

Depois de hamburger e vinhaça, faltava a sobremesa! Um bar de sobremesas, como assim? Um sítio onde se vai tomar um chá ou café, com um menu extenso de coisas boas… hmmmmm, vamos a isso!
Iniciámos com o tradicional chá de menta fresca. Depois conseguimos alinhar 2 opções, a pensar em mais umas quantas… mas depois a gulodice não chegou para tanto, mesmo dividindo, o estômago extra dedicado à sobremesa tem limites…
Uma tarte tatin com pêras, tâmaras, pasta de amêndoa, figos e nozes pecan, com gelado de canela. E um moranguito. Boa, quentinha, com o gelado a derreter… hmmm!
E uma… os holandeses também gostam de colar palavras… wortelvijgennotenchocoladetaart, que é uma tarte de cenoura, figo, frutos secos e chocolate… pesadita mas uma delícia! O creme a cobrir a dita era muito muito bom, diferente do típico creme de bolo de cenoura, mais leve, mas melhor que chantilly puro, não ficou para mostra e só faltou lamber o prato…

E depois de tanta caloria, lá me empoleirei na traseira da bike da minha amiga (coisas Dutch, ter de saltar para a bike em movimento é algo difícil de mestrar, domar o medo de bater com os pés em algum lado, não saber quando há curvas e sentir o rabiosque a cada salto da estrada… uma aventura, mas ela insiste, e eu sou mais pesada que ela!) e depois da estação central em Mas fui a pé para casa, a ver se desmoía a coisa… uma tarde e noite muito bem recheadas, regadas e complementadas!

E no fds seguinte passei lá outra vez! 
Moelleux aux chocolat com frutos vermelhos, tipica tarte de maçã e um chocolate mud cake com “compota da mãe”. 
Que sítio belíssimo para uma pausa e momento doce do dia!