quarta-feira, setembro 02, 2009

Restaurante d’Vijff Vlieghen


O restaurante das «5 moscas« não tem um nome muito apelativo… O sr Jan Janszoon era muito magrinho e tinha a alcunha de mosca. Como queria um nome original e diferente, e uma vez que são 5 prédios contíguos do séc 17, ficou assim, com 5 mosquinhas no símbolo...
Abriu em 1939 como restaurante e recebeu pessoas famosas, como Walt Disney, John Wayne, Bruce Springsteen, entre outros. Cada cadeira tem uma placa de um visitante mais conhecido.

Há 9 salas de jantar, cada um com uma decoração específica, mas só soube isso no fim, senão tinha pedido para visitar e ver os Rembrants e cavaleiros, entre outros…
Mais uma vez não tinha agendado ir ao Restaurant Week mas, perante uma desistência, lá fui experimentar mais um restaurante dos „finos“! Cada vez há mais vergonha em fotografar os pratos, especialmente quando à nossa volta só havia casalinhos em silêncio ou conversas muito contidas, as 3 meninas destoavam!
O menú era fixo, mas não está no menú oficial, por isso a descrição não será a mais fiel…
Um pãozinho do cesto abria o apetite acompanhado de manteiga com flor de sal (a manteiga cá geralmente não tem sal) e uma maionese com manjericão (verde). As garrafas de água eram curiosas e vendiam-se, bem como outros souvenirs à disposição. O senhor retratado é Nicolaas Kroese, comerciante de arte e antiguidades que iniciou o restaurante.

O «copinho» do costume, desta vez trazia um caldo cremoso morno de… qualquer coisa com cebola doce, chalotas, por aí.

Entrada seria: Raw tuna rubbed with “Speculaas” spices, sweet ‘n sour cucumber, lemon marshmallow and almond mayonnaise. Ou pelo menos tinha o molho de speculaas, mas também tinha finas camadas de couve flor e o «molho« da salada seriam uns cubinhos de gelatina de vinagre balsâmico.

O meu peixe era bacalhau fresco, muito bem cozinhado, tenrinho, um mini puré de batata, couves chinesas com molho de queijo e cogumelos ”campainha”.

A carne tinha o mesmo acompanhamento, de estranhar, mas seria por ser RWeek. Parece quase crua mas estava naquele ponto sem sangue e tenrinha, se bem que para mim teria preferido mais morena.

De sobremesa, lá vem a »espuma», desta vez de rosmaninho, «bolo« de chocolate, gelado de alperce e brandy sobre uma bolacha biscoito e um «folhado« crocante com… chamemos-lhe creme de alperce.

Estava tudo muito bom e desta vez pouco esperámos entre pratos, o serviço era muito profissional e simpático. A senhora até explicava o que eram os pratos, mas é aquele pormenor de serem sempre mil e um ingredientes combinados e pouco habituais.
New Dutch Cuisine? Talvez… A repetir? Talvez… se estiver com vontade de gastar mais de 50eur num jantar!

1 Comments:

At 1:05 da tarde, Blogger rui said...

tens que experimentar este restaurante, http://www.kluivenmag.nl/.
Tem um franguinho com piripiri mesmo á moda tuga. 5*

 

Enviar um comentário

<< Home