sexta-feira, dezembro 30, 2005

Taras e manias

A revista Sábado tem uma rubrica sobre "Os meus medos" - alguém conhecido descreve os seus 10 medos. A GR tem, na última página, uma outra rubrica, daquelas com frases feitas e que (outra vez) alguém conhecido completa, género "já não há pachora para... ou temo bem que...". Todos os Verões (Verões?!) os jornais trazem dezenas de questionários de Proust (falta de cultura minha - não sei porque é que se designam assim...).
Bem, o blog das Joanas (futuras camaradas?!) não é a Sábado, nem a GR, e faltam muitos meses para o próximo Verão, mas eu vou inaugurar esta rubrica, que intitulei como "Taras & Manias". Inclui os medos e as esquisitices. E suspeito que vai estar em permanente actualização...

1. Tenho medo de andar de elevador.
É uma coisa indescritível. Aproximo-me de um elevador e o coração começa a querer saltar-me do peito, a respiração torna-se ofegante... um filme deplorável. O trauma aumenta na proporção das ocasiões em que me obrigam a entrar num, como nas visitas oficiais e toda a comitiva se enfia num elevador mínimo e eu tenho de ir também...
Este meu medo já me causou algumas situações realmente embaraçosas, como uma vez durante uma visita do Carmona Rodrigues ao estádio do Sporting. O presidente já estava lá em cima, no 7º piso, e apontaram-me o elevador... eu olhei imediatamente para as escadas, mas disseram-me que não podia utilizá-las porque a porta estava fechada... então, para me tranquilizar, chamaram um segurança, dois metros de altura por dois de largura, para subir no elevador comigo. Como se ficar lá dentro presa com aquela bestonga me ajudasse, mas pronto...
De outra vez foi um almoço no Sheraton. "É no restaurante no topo do hotel". Aqui tive vergonha de perguntar onde eram as escadas. E mais uma vez o elevador... 25 pisos de nervos, angústia e tremeliques, que continuaram muito depois de lá ter chegado acima.
Este meu pânico faz-me estacionar sempre no mesmo sítio nas Amoreiras, ao pé das escadas rolantes, e já me fez sair de um ginásio, o do estádio do Benfica, porque a única forma de acesso a partir do parque de estacionamento era... claro, um elevador.
Este meu pânico tem duas excepções: o elevador velho e barulhento da Lusa e os elevadores transparentes do Corte Inglés e do Almada Fórum. Penso que se ficar lá presa as pessoas vêem-me e por isso não há problema...

(próximos temas: aviões, almofadas, carne e roupa interior - só pra não me esquecer!)

JH.