quinta-feira, abril 26, 2012

Passeio a Kingston e montanha

Fomos um dia a Kingston e arredores, mas sem tour específico pela cidade. No caminho há montanhas, estradas com buracos, lugares isolados, paisagens muito bonitas, muito verde diferenciado, árvores e flores diferentes, barracas para venda de fruta e afins. A maioria das casas do caminho mantinham os ferros verticais da construção no telhado, como se a obra tivesse ficado inacabada ou se aproveite daí a anos para um piso superior? Suponho que não seja para afugentar a passarada...
Há sempre anúncios de cobertura da “Digicel”, rede móvel lá do sítio! E bancas para carregar o telemóvel, mesmo nos sítios mais longínquos.
As lojas têm, na esmagadora maioria, o anúncio do negócio em forma de pintura na parede frontal. Não há cá placas profissionais ou neons, há pinturas com o nome da loja, a lista dos produtos de venda, os bonecos a ilustrar. Na parede lateral, também das casas, está pintado muitas vezes... “don’t piss here”!
E muitas, inúmeras igrejas, de várias religiões. O guia dizia que a Jamaica era o país do mundo com mais igrejas per capita... acredito! Era Domingo e via-se os locais vestidos a preceito a caminho da igreja. Como lá chegam a pé no meio do nada, não sei... mas vão!
Na estrada encontravam-se novas pérolas de comunicação:
Don't drink and drive, arrive alive.
Speed kills, don't be in a hurry to enter eternity.
Running the red may put out your light.
Protect your head, don't end up dead.
Buckle up today, start a habit for life.
Safety starts with an “S” but begins with You.
Alguns destes avisos confirmam a insegurança de alugar carro e dar um giro, a prevenção rodoviária ainda é muito necessária! Ya mon!

Subimos até a um forte ou zona militar com uma vista fantástica de Kingston, uma cidade muito grande!
Passeámos no Holywell National Recreation Park, fizémos uma caminhada curta.
Queriam cobrar entrada no hotel Strawberry Hill, que teria uma vista fantástica e seria um bom sítio para lanchar, mas sendo assim não entrámos.
Uma das razões pelas quais não simpatizo com montanha é o meu enjoo de carro quase instantâneo à primeira curva-contracurva. Foi um dia muito difícil...

1 Comments:

At 4:45 da tarde, Blogger Andorinha said...

Joana, ainda bem que não foste connosco a Bali, tinhas tido uma apoplexia, pq além de ser tudo curva contra curva, os nossos carros caíam aos pedaços e eram tudo menos seguros. Qdo subimos ao vulcão fizemos 3 horas de estrada de montanha dentro da cratera do vulcao em que nao havia uma única recta. See? Lucky you! ;)

 

Enviar um comentário

<< Home