segunda-feira, março 15, 2010

Louis Vinkloop 10km

Correr é fácil: desde que se controle a respiração (para não ter dor de burro nem ficar ofegante), faça alongamentos antes e depois, é começar e pronto. O limite é mais mental que físico.
A corrida de Louis Vink, organizada pelo AV Atos tinha 10km...

O percurso era desconhecido, apesar de estar no site. Ajuda quando não se conhece o caminho, para distrair e continuar a correr, é melhor do que dar voltas ao parque e já se sabe quando acaba a volta.

Fomos de bicicleta para Amesterdão Norte, o barco é gratuito.

No caminho passava-se pelo moinho, onde estava o fotógrafo, mas eu não fiquei. Ficou o D.!

1, 2, 3 km, normal.
4, 5, pronto, metade, 33min, não é mau.
O 6° custou muito porque era em terreno aberto e com muito vento, contra, claro.
7, 8. A partir daqui estou a correr maior distância seguida do que nos... 14 anos anteriores, de quando comecei as mini-maratonas em Lisboa. Bolas, o tempo passa.
9, um arrepio, está quase! Mas outra vez o vento contra, irra!
Entrar no estádio, saltar para o tartan outra vez, ainda há forças para uma aceleração final... acabei, corri 10km!!!!

(a foto foi tirada antes da corrida começar)
O chip foi usado mas não houve tapete inicial, logo o tempo marcado do relógio oficial não correspondeu exactamente ao percorrido, 1h08m49s. Não foi mau pela diferença entre 1a metade e 2°, mantive o ritmo. Média de 8.783km/hora. No meu auge em 2008 da mini de Amesterdão a média foi 9,934. Mas depois do ano passado muito mau em que tive de estar parada, fico muito contente e orgulhosa do feito, voltei a correr e consegui uma distância nova!

No total fiquei em 249° lugar... 78 nas mulheres (eram 88)...
O 1° gajo correu em 33minutos... estava eu contente de chegar a meio, entre patinhos e canais e já o sr estava de caneca na mão?...

Meia-maratona?... Talvez um dia... mas bolas, é mais do dobro...

D.: Good luck on the half-marathon in Berlin!