quarta-feira, maio 23, 2018

Jewish Quarter

Uma amiga sugeriu uma exposição de fotografia de uma fotógrafa Judia, Maria Austria, e voltei a entrar no Museu de História Judaico. Em tempos idos, por vezes tinha o cartão dos museus, mas desta vez paguei os 15 eur do bilhete normal. A novidade, é que dava entrada a 5 locais do quarteirão Judaico, com 1 mês de validade: o Museu de História Judaico (que já tinha visitado em tempos e recordo que era muito interessante e não era entristecedor/ deprimente...), o museu judaico para crianças (não visitei), a Sinagoga Portuguesa (já tinha ido várias vezes mas voltei), e estreei o Memorial nacional do Holocausto e o Museu nacional do Holocausto. 

Nesta zona da cidade há muitos locais importantes da cultura Judaica, e muitas referências a Judeus de origem Portuguesa! Também já ha visitado o monumento de Auschwitz (link), um hospital Judeu Português, orfanatos, escolas (como a Portuguesa religiosa Judaica), a farmácia mais antiga da cidade que pertencia a Daniel Henriques de Castro (séc XIX, soa a nome tuguês...), a casa de um mercante rico Jerónimo Nunes da Costa (séc XVII), casa de Portugueses Judeus dedicada aos idosos e doentes (uma para mulheres e outra para homens, séc XVIII até à 2a guerra mundial), casa De Pinto...
O Memorial Nacional doHolocausto foi antes o teatro Hollandsche Schouwburg, mas durante a 2a guerra mundial foi usado como centro de deportação de milhares de Judeus, homens, mulheres e crianças, para campos de concentração e exterminação... quando se entra, do lado esquerdo, tem uma parede enorme com os nomes de centenas de Judeus, muitas flores e uma chama perene no chão, com inscrições Judaicas. No pátio, tem um monumento, mensagens e um jardim quase escondido, onde crianças brincavam, enquanto foi possível. No piso superior, tem imagens, objectos e documentação da época. 
Do outro lado da rua, está em desenvolvimento/ construção o Museu Nacional do Holocausto, com o apoio de voluntários e dadores. Antigamente era uma escola para crianças Judaicas No piso de baixo, tem um trabalho artístico a homenagear as crianças que foram deportadas, cada mala tem o nome de uma criança, idade e data da sua morte...
O pátio tem fotografias e uma cronologia do impacto da guerra na vida dos Judeus locais.
Para além de mais objectos, fotos e documentação, mais de carácter pessoal de pessoas que viveram e sobreviveram à guerra, tem uma lista de todos os comboios que saíram da Holanda, com data, número de deportados, local de partida e campo de destino... na grande maioria Auschwitz, mas também Mauthausen, Sobibor, Theresienstadt e Bergen-Belsen.
Voltando à SinagogaPortuguesa, séc XVII, unicamente iluminada com luz natural durante o dia e com centenas de velas durante a noite, sem electricidade no seu interior, desta vez visitei com guia áudio, em Português!  Giro ver muitas referências a Portugal, como nomes de pessoas e diplomas em exposição, e tem várias salas com objectos cerimoniais, de prata, ouro, seda, vestes, chapéus... a Biblioteca é a mais antiga Judaica do mundo, em funcionamento, também com livros em Português e faz parte do registo de memória mundial da Unesco. Histórias interessantes para descobrir!
O monumento a Auschwitz fica pertinho e já tinha visitado anteriormente.