segunda-feira, dezembro 21, 2015

Restaurante Il Pacioccone

Depois de visitar a filha “ovelha negra” do Pacioccone, tinha de provar o original, o restaurante Italiano Il Pacioccone recomendado por amiga Italiana, que quase só vai quem conhece por ficar numa rua pouco frequentada.
O menu é pequeno e muda todos os dias, de acordo com os ingredientes e massas trabalhadas pela cozinha, tudo é feito lá. O pão caseiro e o azeite Italiano combinavam muito bem para entreter antes de chegarem os pedidos.
De entrada pedimos uma caponata (“a Sicilian eggplant dish consisting of a cooked vegetable salad made from chopped fried eggplant and celery seasoned with sweetened vinegar, with capers in a sweet and sour sauce.”) e um queijo fumado com batata e endro ( “dill”). A caponata era diferente do da mãe da minha amiga, mas estava bom, o azeite tinha picante. O queijo era guloso, derretido no forno, comia-se muito bem.
O prato de ravioli com cogumelos porcini não parece grande na foto mas foi difícil acabar. Massa fresca, molho delicioso, estava muito bom!
O peito de pato com courgette grelhada e batata no forno tinha bastante pimenta e pouco molho, mas era agradável e diferente do habitual, sendo que pato nunca é fácil encontrar por cá.
De sobremesa, porque não se podia deixar de experimentar, teve de ser o tiramisú. Sendo o mesmo restaurante, era semelhante ao da pizzaria, numa porção enorme que, mesmo dividindo, foi difícil acabar. E um copinho de limoncello, oferecido, para rematar com simpatia.

Ambiente muito simpático, todos são Italianos, desde os cozinheiros aos empregados. Sem a confusão de turistas e sabendo que a cozinha é fiel ao país, é uma óptima escolha, só pecando um bocadinho pelo preço, que acaba por ser normal por cá, mas não sai barato...