quinta-feira, junho 14, 2007

O cheiro familiar

Todas as casas têm um cheiro, mas estamos tão habituados não reparamos. O edifício do trabalho também tem o cheiro, os elevadores, as escadas.
Vivendo mais em Lisboa, já consigo distinguir o cheiro familiar quando regresso à Costa. E do jardim, da relva acabada de regar, das amoras da amoreira.
Quando está bom tempo (onde está o Verão?), para fugir ao trânsito matinal para as praias da Costa, nada como ir na véspera de noite, sem fila.
E quando saio do carro cheira a maresia, a salgado, a banhos.

JM