quinta-feira, dezembro 31, 2015

A revisão de 2015

O blog sofreu e deve ter sido o ano em que postei menos, mais trabalho, viagens e jantares durante a semana, passei pouco tempo em casa e ainda menos no computador doméstico. Culpa também de poder usar um ipad e um iphone, o computador liga-se quase só para ver séries, fotos e preparar posts.
Recuperei saúde, energia e alegria, vivi com mais gosto que no ano passado, foi um ano feliz! J
Em Janeiro tive de me despedir dos Chubitos que emigraram para os EUA; recebi a visita da Pipoka e do João, e ainda da Patrícia e do Nuno. Em Fevereiro fui a Munique com o Pedro. Em Março tive a visita dos papás e visitei a Elina em Dublin.
Em Abril fui visitar o Miguel, Diana e Laurinha a Londres antes de regressarem a PT; recebi a Teresa e o Carlos; a família viajou num cruzeiro, onde estreei a Grécia e Croácia; peguei na Marta ao colo no dia em que nasceu! Em Maio fui trabalhar para Ratingen (Duesseldorf) e fui a PT; tive de me despedir da Stacy e do Vincent que também foram viver para os EUA. Em Junho trabalhei em Bruxelas.
Em Julho regressei à Disney de Paris após 20 anos… posts em falta… e trabalhei em Hamburgo. Em Agosto foi a visita anual ao Algarve, praia e petiscos, breves passeios em Espanha; a Maria Teresa visitou em Interail e eu quase me juntei quando não consegui sair do comboio que a ia levar a Itália, mas parou em Utrecht e eu safei-me da multa :$ Em Setembro houve fds relâmpago em Espanha para festa de casamento de aldeia; fds em PT e Adegga em Estocolmo.
Em Outubro foi Adegga em Berlim; formação em Londres; visita a PT; fds em Ossendrecht e reuniões em Paris. Em Novembro trabalhei em Istambul (a presenciar uma pequena manif política) e depois aterrei em Paris quando os atentados estavam a acontecer, foi um fds de receio numa situação de alarme constante, com a cidade vazia e tudo fechado, pouco agradável. Em Dezembro a mana visitou, a Maria Teresa regressou sem ser em modo interail e tivemos o Natal em família em PT. Foi um ano bem viajado :D Embora tenha falhado a visita anual aos Patecos na Côte, pena!
Entro em 2016 já com 5 concertos na agenda, teatro e circo agendados. A ver o que sai no roteiro do trabalho e que viagens poderei fazer.
Vai-se ficando por Amesterdão… a aproveitar a cidade, cultivar amizades e, como diz a tshirt da SPF, “Live, Laugh & Love Amsterdam”, cá estaremos.
Um bom ano! Venha 2016!


PS: o blog fez 10 anos a 25 Outubro e não dei por nada... continua a retratar o diário gráfico do que quero publicar, nem tudo se torna post mas recorro frequentemente para partilhar referências de hotéis, restaurantes, viagens...

quarta-feira, dezembro 30, 2015

Ellis gourmet burger

O Ellis gourmetburger tem uma decoração engraçada (como o candeeiro de garrafas de Heinz ketchup) e é um sítio descontraído para rever amigos. Um bom menu de hamburgers, incluindo vegetarianos, bebidas para todos os gostos, da qual selecionei a “limonada” da casa com frutos vermelhos, agradável. Sai um clássico de soja para a direita.
Depois um Ellis special com bacon para a frente, um crazy red veggie para a esquerda e um Red chilli para mim. Batatas não crocantes mas saborosas, anéis de cebola quentes, grandes e muito concorridos.

Os hamburgers eram ok, feitos com carne “a sério”, mas pouco sumarentos. Vale pelo espaço, localização, menu de bebidas e preço, simples e satisfatório.

terça-feira, dezembro 22, 2015

Natal 2015

O Inverno está estranho, pouco frio, nada de temperaturas negativas ou de neve. Não apetece usar as roupas grossas mas também não lamento não escorregar no gelo. Manhãs escuras, dias muito pequenos, mas a partir de agora começa a melhorar!
E cá estamos em época natalícia, árvores montadas, presentes comprados, embrulhados e enfiados na mala, em jeito de tetris. Pronta para a enxurrada de comida, família, amigos com bebés, mais comida, jantares, correrias de visitas e mais comida na bagagem... 
Desta vez prenderam bem a árvore da estação central, no ano passado oscilava demasiado com o vento. Gente a mais a patinar num Domingo de tarde, talvez haja menos em Janeiro... (ringue de gelo falso).
Boas festas!

segunda-feira, dezembro 21, 2015

Restaurante Il Pacioccone

Depois de visitar a filha “ovelha negra” do Pacioccone, tinha de provar o original, o restaurante Italiano Il Pacioccone recomendado por amiga Italiana, que quase só vai quem conhece por ficar numa rua pouco frequentada.
O menu é pequeno e muda todos os dias, de acordo com os ingredientes e massas trabalhadas pela cozinha, tudo é feito lá. O pão caseiro e o azeite Italiano combinavam muito bem para entreter antes de chegarem os pedidos.
De entrada pedimos uma caponata (“a Sicilian eggplant dish consisting of a cooked vegetable salad made from chopped fried eggplant and celery seasoned with sweetened vinegar, with capers in a sweet and sour sauce.”) e um queijo fumado com batata e endro ( “dill”). A caponata era diferente do da mãe da minha amiga, mas estava bom, o azeite tinha picante. O queijo era guloso, derretido no forno, comia-se muito bem.
O prato de ravioli com cogumelos porcini não parece grande na foto mas foi difícil acabar. Massa fresca, molho delicioso, estava muito bom!
O peito de pato com courgette grelhada e batata no forno tinha bastante pimenta e pouco molho, mas era agradável e diferente do habitual, sendo que pato nunca é fácil encontrar por cá.
De sobremesa, porque não se podia deixar de experimentar, teve de ser o tiramisú. Sendo o mesmo restaurante, era semelhante ao da pizzaria, numa porção enorme que, mesmo dividindo, foi difícil acabar. E um copinho de limoncello, oferecido, para rematar com simpatia.

Ambiente muito simpático, todos são Italianos, desde os cozinheiros aos empregados. Sem a confusão de turistas e sabendo que a cozinha é fiel ao país, é uma óptima escolha, só pecando um bocadinho pelo preço, que acaba por ser normal por cá, mas não sai barato...

quarta-feira, dezembro 16, 2015

Restaurante Miss Saigon

Sai o último groupon do ano!
Miss Saigon, Vietnamita, 5 pratos. Estava cheia de fome e não começou muito bem, o 1º só veio meia hora depois e na meia hora seguinte nada... depois foi mais rápido...
Começamos com os típicos crepes em massa de arroz, com a particularidade de ser “do-it-yourself”. O que quer dizer rolos pouco cilíndricos e a atirar para o desajeitados, mas igualmente saborosos... a caixa dos crepes era gira, um sítio com água morna para os rodar e molhar, depois ficam meio colados ao prato quando se tenta enrolar... o sr explicou, folha de alface, folhas de coentros e menta, noodles, cenoura, pepino e frango. No primeiro adicionei o molho ao crepe já enrolado. No 2º crepe, pus o molho em cima dos ingredientes antes de enrolar, fica igualmente bom!
Depois uns pedaços de peixe panados em espetada, fresco e a ferver ao mesmo tempo, crocantes e saborosos.
Segue-se uma salada com lótus e camarões, leve e agradável.
Para o prato principal, depois de 3 entradas, podia-se escolher entre a típica sopa de noodles de arroz com vitela fininha crua (coze logo no caldo a ferver), com rebentos de soja, mais coentros e menta; e uns noodles com fatias de porco, crepes vegetarianos e molho de lima. Veio um de cada. A sopa é sempre boa mas não muito fácil de comer entre a colher asiática e os pauzinhos, embora facilite quando são de madeira para a massa escorregar menos...
De sobremesa, também se podia escolher entre duas e vieram ambas para a degustação. Sobremesas asiáticas são sempre diferentes das ocidentais... pudim de tapioca e leite de côco, quente, com banana e amendoins. Muito bom, mas o aspecto verde e a temperatura são de estranhar... e duas bolas de gelado... de sésamo? Com chocolate líquido por cima. Come-se tudo :D
Havia vários groupons no restaurante, mais uns srs asiáticos e outros locais em grupo. Não estava cheio mas dava para perceber que os 2 cozinheiros estavam atrapalhados. Simpáticos e honestos, não desilude.

Do outro lado da rua descobri outro Peruviano. A lista de restaurantes a experimentar nunca se esgota J

quinta-feira, dezembro 10, 2015

Restaurante &Samhoud places

O restaurante week também inclui restaurantes com estrela Michelin, vai um almoço de 2 estrelas? Há vários na Holanda mas a maioria fora do centro e a pedir transporte de 4 rodas, que não abunda. Escolhemos o &samhoud places que, apenas 3 meses depois de abrir, ganhou 2 estrelas Michelin… talheres Cutipol viva o orgulho nacional!
Expectativas altas… que é sempre mau L

Ambiente descontraído, serviço simpático e atencioso, calçado de ténis.
1ª entrada, uma pizza cozinhada a vapor com enguia e abóbora. Coisa bonita e pequenina, era interessante.

2ª entrada, vieiras, ovo de arenque, plantas salgadas, cogumelos chantarelle e cerveja de Outono, bastante forte. Era muito bom, trabalhoso de fazer, apresentação xipiti, sabores combinados muito agradáveis e diferentes, gostamos!
E depois, foi um bocado desilusão…

(foto trocada na sequência) Bacalhau fresco, cozinhado ao de leve, ok, uma fatias finas de rabanete e molho pil-pil, típico do país Basco. Era bom mas não era tchan… e não tinha acompanhamento. Não era pela fome, era para poder variar de uma garfada de peixinho…

E depois um filete de frango com molho Albufeira (aparentemente de raízes tuguesas), salada e puré de batata. Hmm, ok, mas o filete de frango era assim simples…de certeza que o molho dá trabalho mas… meh L

De sobremesa, para um dia de chuva e vento daqueles de plantar chapéus de chuva partidos no chão, e que para tirar foto ao restaurante ia-me voando o telemóvel da mão… apetecia assim uma coisa aconchegadora… em vez de uma sobremesa de Verão com frutos vermelhos, compota de marmelo pouco doce, doce de um fruto arraçado de tomate amarelo que não tinha doçura, gelado ou afim de fruto vermelho a precisar de açúcar, a serem salvos pelos mini suspiros e no meio tinha iogurte.

E para terminar pedimos chá e café. Um bule muito bonito Japonês pesadíssimo com folhas de menta fresca. Para um Michelin de 2 estrelas gostava que as folhas fossem verdes em vez de acastanhadas. A madalena estava belíssima, crocante, e o coração de chocolate com um recheio de derreter a língua, macio e amoroso. Salvou o fim da refeição… até saber que o chá era 12.5eur…

E depois de ter visto o filme “Burnt” continuo a pensar que os estrelas Michelin deviam impressionar para lá da expectativa, mas até agora… pouca sorte!

terça-feira, dezembro 08, 2015

Restaurante Djago

Este restaurante Indonésio já andava na lista há muito tempo, mas como o Djago não fica perto do centro, ficava sempre adiado. 
O menu tem várias opções mas não fomos esquisitos, no Indonésio é para se comer uma “mesa de arroz”! Vários mini pratos, neste caso com carne de vaca, frango e porco, rebentos de soja, feijão verde comprido, ovo cozido, arroz, amendoins, côco ralado torrado, pickles de pepino. São sempre sabores fortes, típicos do país, mas a qualidade e sabor são muito bons. Vale pela comida, porque o serviço é aquela qualidade local pouco satisfatória…
Ainda pedimos um bolinho de fatias e um copo com gelado e fatias finas de côco fresco, para partilhar. Ninguém sai com fome, barrigas satisfeitas e convívio garantido!

quarta-feira, dezembro 02, 2015

35

É hoje que abro o Porto, bela colheita de 1980 :)