quinta-feira, maio 28, 2015

Cru – Chegada

Todos os passageiros são convidados a preencher um inquérito de satisfação, que determina o nível de qualidade e influencia promoções do staff. Coloquei várias sugestões, mas no geral foi tudo impecável.
Instruções na véspera para saber como seria a chegada. Malas à porta na noite anterior até às 2 da manhã… avisaram para não esquecer de deixar de lado roupa para o dia seguinte, porque acontece ver passageiros a desembarcar de pijama…
As contas de cada quarto/ cartão de crédito foram colocadas debaixo da porta algures de madrugada, eles não páram. E funciona muito bem, conferimos os gastos, assinamos e fica lá no quarto. Depois debitam do cartão. As gorjetas estão incluídas diariamente, um valor para adultos e outro para crianças. Faz parte da cultura de cruzeiro e dos salários do staff, escusamos de privilegiar ou ignorar empregados que trabalham muito mas têm pouca visibilidade.
Sair dos quartos muito cedo, 7h30. Muita limpeza ao mesmo tempo para receber a fornada seguinte daí a umas horas, revendo os perdidos e achados, consertando coisas, confirmando que os cofres estão vazios, uma manutenção complexa em grande escala.
Dependendo da “categoria”, foi-nos atribuída uma cor e número de grupo. Havia quem fosse para outro cruzeiro, quem tivesse excursões em Veneza, transferes para o aeroporto, autocarros para outros países, e também saída por andares.
Deu para tomar o pequeno-almoço com toda a calma e despedir do barco, dos empregados que ficaram conhecidos ao longo de uma semana, copiar fotografias.
video
E regressámos a Veneza, a amanhecer calma sem a enchente de turistas que certamente a vai popular não tarda.
Ora hoje é 5f, o MSC Lirica está em Dubrovnik das 13h às 19h (hora local, +1 que em Lx).
Sábado a tripulação respira fundo e começa tudo de novo com novos passageiros... até Agosto sempre à roda!

quarta-feira, maio 27, 2015

Cru – Ancona

Última paragem, Ancona, Itália. Porto com muito movimento, vários cruzeiros e também estaleiro para reparações ou remodelações.
Uma cidade com muitas igrejas e edifícios históricos, catedral e ruínas Romanas, coliseu, fontes. 
Mas sem muito encanto, preferia ter ficado mais tempo em Mikonos ou Dubrovnik para conhecer melhor...
Lá demos com o centro que tinha um bocadinho mais de movimento e pessoas, até então parecia uma cidade meio fantasma.
Almoçámos Italiano bom, algumas lojas abertas para espreitar, depois de um longo intervalo de almoço, parece Espanha com a sesta!

terça-feira, maio 26, 2015

Cru – Dubrovnik 2

O tempo estava contado, deu para passear nas ruas, sem grande rumo, mas era tudo muito catita e arranjadinho. Porto antigo e igreja S. Salvador/Redentor.
Não entrámos no palácio do Reitor por falta de tempo, e também de dinheiro local…
Escadinhas, rua principal, lojinhas, a parte velha da cidade é muito agradável de visitar.
Novamente local de filmagens para a série Guerra dos Tronos, muitos souvenirs e referências pela cidade.
Pena não dar para sentar e comer um gelado, ou ver umas lojas para provar queijos, azeitonas e compotas.
O dinheiro deu quase certo para a entrada na muralha. Demora 1h? Achei eu que íamos demorar menos…  
São quase 2km num sobe e desce, escadas e rampas, vistas magníficas, muitas fotografias. Mosteiro Dominicano. Vamos antes que nos cortem a cabeça!
Dentro e fora dos limites havia recantos giros. Um bar à beira mar… bem escondido!
Torres, portas da cidade, canhões, sistema de defesa complexo e eficaz.
Torre Minčeta, ponto mais alto do percurso.
É cansativo e demorámos uns bons 50min, com passo apressado e já quase a sair a correr para o autocarro. Mas é imperdível o passeio para admirar a cidade de várias frentes. Pena não ficar mais tempo em Dubrovnik!

sexta-feira, maio 22, 2015

Cru – Dubrovnik 1

Regresso à Croácia, Dubrovnik, cidade medieval muito bem preservada, património da Humanidade desde 1979!
Uma chegada bonita, deu para ver como as amarras são lançadas para o cruzeiro atracar no porto, que precisão, um bicho destes não é fácil de estacionar!
O autocarro deixou-nos no centro e fizémos dia livre sem excursão. Começámos logo pelo teleférico que proporciona uma vista fantástica da parte antiga da cidade, dentro das muralhas. Não deu para ir à ilha de Lokrum que teria umas curiosidades para ver enquanto se passeia, nomeadamente inúmeros pavões.
Almoçámos com a melhor vista possível e a comida era boa, serviço simpático, preço acessível. Mas tive pena de não comer no centro onde havia muitos restaurantes simples com muito peixe e marisco, talvez na próxima visita.
Vamos então conhecer a cidade!

quinta-feira, maio 21, 2015

Cru – Mikonos

Depois de descansar de Santorini e de mais um jantar exagerado no buffet, esperámos a hora para o barco até Mikonos. Com tantos passageiros, tinha de haver senhas com horário para poder sair em grupo nos barcos disponíveis que faziam o transfer.
E que pena ser de noite e tarde, depois de um dia cansativo, Mikonos pareceu cheio de potencial para visitar de dia, tem praia! Ruas muito arranjadinhas, um Algarve com pinta e muito agradável para passear. 
Muitos outros cruzeiros faziam o mesmo, e apesar de não ser época alta, as lojas estavam abertas e eram interessantes, diferentes. Não deu para explorar muito, que pena!

Encantados, voltaria para um fds!

quarta-feira, maio 20, 2015

Cru – Santorini 2

Uma prova de vinhos, na Santo Wines. Vêem-se as vinhas pela ilha, com videiras envoltas num círculo a proteger do vento. Um branco, um tinto e um doce a lembrar um moscatel. À vontade, com umas tostas, azeitonas, tomate e queijo. Sem pressões para comprar, descontraído, agradável.
 Ora bolas, acabou-se o vinho… olha o cruzeiro lá em baixo! Dia bonito!
E depois passagem pela capital, Fira, mas com pouco tempo para passear, infelizmente. Tempo limitado para o regresso ao cruzeiro e uma fila desmesurada para o teleférico, foi pena não dar para explorar mais, incluindo souvenirs locais.
As casas têm uma construção regular pela ilhas, ou com tecto plano para recolha de água na altura da seca, ou com uma cúpula para armazenar produtos locais. Feijões, alcaparras (também em folhas), beringelas brancas, tomate cherry, pepinos, mel, figos, pistáchios. Não deu para provar ou comprar, e a economia bem precisava da constribuição do turista!
O teleférico dava uma vista bonita da ilha, descida a pique até ao porto onde o barco nos levaria ao cruzeiro.
Também dava para descer de escadas, muitas… e não seria para todos, requeria alguma preparação física. Deu para ver os burros “estacionados”, que era a 3ª alternativa desaconselhada pela guia. Eles não descem com calma e talvez não se aguentasse o equilíbrio no seu dorso…
Adeus Santorini, visita curta!

terça-feira, maio 19, 2015

Cru – Santorini 1

Depois de um dia no mar, para descansar, tomar o pequeno-almoço com calma e aproveitar o cruzeiro, 2ª paragem, Santorini, ou Thira, pela primeira vez na Grécia!
Desta vez paragem ao largo da caldeira, um vulcão antigo que deu origem às ilhas circundantes, barco para terra e nova excursão pela ilha.
Muito rica geologicamente, sucessivas camadas de erupções antigas. Casinhas brancas no topo, que ao longe parecem neve.
A cidade de Oia (dita Ía) é a imagem das casas brancas  com o azul do mar ao fundo, contraste bonito. Não há água na ilha... mas há canalizações e piscinas em casas de ricos e hotéis. Um conceito estranho.
Passeio giro pelas ruelas, lojinhas com souvenirs, cafés engraçados, mais fotos das casas brancas.
Há muitos burros, não necessariamente aconselhados aos turistas pela potencial falta de higiene e insegurança no transporte.
O castelo na ponta de Oia é pequenito e pouco presente, mas com boas vistas para vários lados da ilha.
É encantador mas não tem praia, acho que preferia outra ilha grega para passar férias, apesar de ser a 1ª que visito… A Grécia tem 9984 ilhas...

segunda-feira, maio 18, 2015

Cru – Split 2

O Palácio Diocleciano é ponto de visita obrigatório na cidade. Foi construído pelo imperador Romano por volta do século IV e tem um sistema complexo de salas e piso subterrâneo.
 No piso térreo, hoje há ruas estreitas, casas e comércio,
 
A zona da catedral (com torre de sinos mas pequenina) e peristilo tem pilares vermelhos trazidos do Egipto. 
Um mausoléu Romano, dedicação à virgem Maria. As portas de madeira estavam em restauração, protegidas por plástico, serão do ano de 1220…
O templo de Júpiter tinha a curiosidade de ter os senhores a cantar em coro, com um efeito bonito e harmonioso.
Split é uma cidade muito bonita. Para os fãs da série Gerra dos Tronos, há cenários do palácio e arredores. O tempo medieval nos dias de hoje.

sexta-feira, maio 15, 2015

Cru – Split 1

Primeira paragem do cruzeiro no mar Adriático, Split, 2ª maior cidade da Croácia, na região da Dalmácia, património Mundial da Unesco. Uma excursão, autocarro e passeio a pé pelo centro da cidade com uma guia muito simpática. Em terra, parecia que ainda se ondulava, o equilíbrio estava um bocadinho desnorteado...
(Depois da visita optámos por almoçar no barco, mas como ainda havia a tarde livre, voltámos a sair e fomos descobrir a praia. Areia natural, fina, mas escura. Água fria mas bom para sentar na areia a descansar e apanhar um bocadinho de sol. E o bar tinha wifi, deu para ver as gordas das notícias e limpar emails.)
Provámos uma panqueca com espinafres e queijo que se chamaria Suparnik.
A estátua do sr GrgurNinski, bispo no tempo medieval tinha um dedo dourado, de tanto toque turista, por se dizer que dá sorte...
Ruas catitas, cheias de construções muito antigas, uma história muito complicada e misturada entre culturas, religiões e países vizinhos. A independência veio em 1991.
Uma praça construída à semelhança da de S. Marco, mas com a particularidade de ter roupa estendida, acho que isso não se vê em Veneza. Teatro nacional.
Gente simpática e acolhedora, recantos muito giros.
Mercados simples, de peixe, outro com flores, fruta e alguns produtos artícolas. Cidade miniatura.
Joaninha! Não percebi o que era, o Google aponta para uma série ou novela de tv, mas achei que seria meio de pagamento já que se encontrava à porta de papelarias e afins.