sexta-feira, outubro 31, 2008

Flexibilidade

É bom poder trabalhar de casa de vez em quando, especialmente quando se têm compromissos como a visita de um técnico especializado. Finalmente tenho o triple play completo com todos os canais da DTV!
Há internet, há conference calls, há confiança e compromisso. Entre e-mails e conversas de msn ou skype com colegas da empresa, espalhados pela Europa, cumpre-se o trabalho no conforto do lar. Posso estar de pijama ou de pantufas quentinhas :)
Por vezes até se trabalha melhor, com maior concentração. É claro que o frigorífico e a tv são potenciais ameaças, mas a responsabilidade encarrega-se disso.
Viva a flexibilidade, a tecnologia que nos permite esta opção e a cultura local que vê com bons olhos esta modalidade!
E o fds está aí outra vez!

quarta-feira, outubro 29, 2008

Burgermeester


Já tinha passado e sentido o cheiro de hamburgers. Depois percebi que o nome enorme remete para "mestre de hamburguers". Depois vi a referência na TimeOut e achei que tinha de experimentar, nada de fast food, hamburguers a sério e cheios de ingredientes curiosos!
O F comeu um Meester Biefburger (Blonde d'Aquitane rund, gegrilde groenten, dragonmayo).
Difícil de dar a dentada!
Eu escolhi um menu com 3 mini amostras: Meester Biefburger, Klassieke Lamburger (Texels lam, rode uiencompote) e Kalkoenburger (Kalkoen, tomatensalsa, gebakken pancetta (spek)).
Pequeninos mas muito saborosos!

Acompanhados de um sumo mega-vitamínico.
Também havia opções vegetarianas (http://www.burgermeester.eu/) e escolha do mês, cuja composição pode surgir da imaginação de cada um, ingredientes e molhos.
A repetir!

terça-feira, outubro 28, 2008

Emily Dickinson


To make a prairie it take a clover and one bee.
One clover, and a bee, And a revery.
The revery alone will do,
If bees are few.
(Marnixstraat, Amsterdam)

segunda-feira, outubro 27, 2008

Experimentámos o Febo!

Já foi há mais de um mês, mas esqueci-me de fazer post.

Depois de uma noitada veio a fome e sítios como o Macdonals, turcos, batatas fritas, pizzas e o Febo ficam cheios de malta. Decidimos dar uma de holandês e lá pusémos a moedinha, abrimos a porta e tirámos um item, geralmente fritos, mas também hamburguers.

E não era assim tão mau! Ou seria da fome? Lá barato era...

quinta-feira, outubro 23, 2008

Spinoza

Num edifício junto à Overtoom...

Verdade verdadinha!

quarta-feira, outubro 22, 2008

Visita das manas Seabra

MS&MS tiveram de vir a Amesterdão em “negócios” e aproveitaram para mais uma visita!
Na 6f as manas chegaram a casa com sacos cheios do AH com stroopwafels e chocolates diversos, depois de terem comido waffles da Australian, suas gulosas!!!!
Jantámos no italiano Toscana e gelámos as mãos nas bikes a caminho da Pijp para ver uns bares, o frio já começou!

Sábado começámos a percorrer as negen straatjes (9 little streets), íamos parando a bike e visitando as lojas curiosas, nem sempre com preços convidativos mas sempre interessantes! Passámos nas tartes de chocolate do traiteur Chef.
Seguimos para o mercado biológico e depois para o de Lindengracht. Olha o bacalhau, versão peixe "normal", não espalmado e não salgado!

A súbita visita da chuva fez-nos pedalar mais depressa para casa mas felizmente foi de pouca dura.
A globalização tem efeitos “estranhos”. Nas nossas compras, vi souvenirs iguais que tinha trazido para amigos da Rússia, e a M viu arte moçambicana também igual à que viu localmente. Assim não tem piada! :(

Passámos nas batatas fritas, depois uma pizza no La Place, sempre muito bem alimentadas...
Percorremos mais lojas e voltámos a casa.
Já estava escuro quando atravessámos o Vondel e fomos “às letras” que estavam à entrada do estádio olímpico.
Voltámos por um caminho diferente e fomos até à Dam para nos aventurarmos numa diversão cheia de emoção... a altura é considerável, a vista era maravilhosa, a velocidade era estonteante e quando fazíamos tudo de pernas para o ar... gritaria e risota e aquilo nunca mais acabava! Ver os edifícios ao contrário e de noite era confuso, “quase” tocar com os pés no edifício do P&C/museu de cera metia medo... Fiquei um bocado rouca de tanta gritaria e a emoção vs frio fez-nos chorar mas rimos que nem umas doidas. Adrenalina pura!
(a foto foi tirada no fim das compras, para ver se ganhávamos coragem...)

Depois de um jantar caseiro, as manas já adormeciam no sofá, embora a gulodice da M a levasse a voltar à Australian para mais um waffle com açúcar!
Faltaram os crepes, fica para a próxima visita! :D

segunda-feira, outubro 20, 2008

ING Amsterdam Marathon 2008

Depois de mais de 10 anos a fazer as mini-maratonas em Lisboa, tinha de dar continuidade ao desafio pessoal.
As incrições eram caras, mas a tshirt incluída era xpto daquelas de material fininho com furinhos para respirar. E a organização é diferente.

Todas as provas foram separadas. A maratona começou às 10h30 da manhã. Quando estava a chegar para a mini das 11h35, estavam a passar os da maratona numa parte do percurso. Antes de começar, reparei que 95% dos atletas tinha o chip nos ténis do lado direito, é por sermos todos dextros? E também muitos usavam os atacadores da Unicef que deram, para ajudar. Mas havia quem os usasse como bandolete ou no pulso. Eu optei por usar adicionalmente aos meus, dava muito trabalho tirar os originais...

Estava vento mas o percurso pela cidade era agradável e novidade, mais o facto de estar acompanhada por centenas de outros corredores, a prova fez-se bem. Havias várias animações como bandas de samba, de ritmos havaianos ou simplesmente populares a aplaudir e incitar. Mas também reparei que muitos levavam leitor de mp3, que ajuda a manter o ritmo.

Nos anos anteriores, pouco praticava e raramente por períodos superiores a 30mins. Mas por cá, com boa companhia e o Vondel por cenário, os “treinos” foram praticamente a nível semanal e muitas vezes próximos de 1h.
Provavelmente por isso, cumpri os 7.5km no melhor tempo de sempre!
Fiquei no lugar 1507/2269 da geral, 659/1192 das senhoras, e tanta precisão deve-se ao chip. Passavamos em tapetes com sensores que apitavam e poucas horas depois recebi um e-mail com os resultados! O primeiro lugar foi com um tempo de 24mins! E ainda vou conseguir ver fotos oficiais da corrida, que fazem para cada dorsal, mega eficiência!

Em Lisboa era tudo ao molho, por isso primeiro que se começasse a correr... e que se conseguisse correr pelo meio das famílias em passeio, não era fácil.
O tempo limite (existiam tempos limite, não há cá corredores de fds!) era de 55mins e cheguei a recear não poder entrar no estádio olímpico, mas correu bem e foi uma boa experiência, finalizar a prova no estádio em tartan é giro!

Entrada no estádio

Prestes a cortar a meta

Quando já estava na bike para ir para casa, chegaram os da maratona, uma emoção vê-los. Estranhamente, para mim, nem pareciam cansados e tinham um ritmo alucinante. Corriam há cerca de 2h e fizeram mais de 5x o meu percurso, não é certamente fácil!
Os valentes R, M e Bs cumpriram a meia-maratona a começar às 14h, com excelentes tempos de 2h08 a 2h40. Parabéns pelo objectivo alcançado! Já podem riscar da lista de objectivos pessoais, terem feito uma meia-maratona na vida!
E viva o desporto!

sexta-feira, outubro 17, 2008

Os Lusitanos em Amesterdão


No fds passado houve jogo da selecção e finalmente conheci os Lusitanos!
(Govert Flinckstraat 177, na Pijp)

Ambiente engraçado, como se estivesse numa terreola em PT.

Muitas bandeiras nacionais, várias TVs e projector, mesas corridas para jantar, balcão onde se pede Super Bock, água do Luso, café e amêndoa amarga, fala-se e convive-se em português!

O jogo não foi dos melhores, nenhum golo.

Valeu pela experiência, hei-de voltar!

quinta-feira, outubro 16, 2008

Luzes da bicicleta – obrigatório


Este Domingo ouvi um stand-up entertainer a comentar que em Amesterdão se podia fazer sexo num parque público, com uma prostituta, enquanto fumava um charro... mas que se andasse de bicicleta sem luzes levava uma multa de 50eur!
As luzes servem para ver e ser visto, e não só as bicicletas as usam, começamos a ter de as levar quando vamos correr no parque e anoitece cedo e os cães também andam iluminados.
As minhas bicicletas têm a luz de dínamo, que funciona com o pedalar, custa mais um bocadinho mas é económico e amigo do ambiente. E quando se avariou um, fui à loja e arranjou-se, ou pôs-se um novo...
Mas também tenho umas luzes pequenas para o caso de emergência, ou para emprestar, ou para correr. Custam 5eur, o conjunto.
Uma delas pifou, quis então mudar a pilha. Descobri que eram duas. Não foi fácil encontrar um sítio onde tivesse pilhas daquelas. No 1º sítio cada pilha custava 6eur. Nem pensar! Tentei no mercado e a senhora cheia de vontade de vender lá andou a ver. E eu a perguntar quanto custava... Depois de alguma discussão, paguei 6eur pelas 2 pilhas, era 3eur cada.
Como raio é possível que 2 pilhas para uma luz custem mais do que um conjunto novo de duas luzes com 4 pilhas lá dentro? Que estupidez! Pretende-se fomentar o desperdício é? Acumular plástico sem uso? Sim, porque da próxima vez que uma das luzes pifar, vou comprar um conjunto novo em vez de pilhas novas! :(

quarta-feira, outubro 15, 2008

The Mansion - outro menu

Depois da experiência do Restaurant Week, o The Mansion tinha a proposta de menu mais requintado com cocktail de entrada incluído.
Foi muito bom! Que nem “Sex and the City”, houve um Cosmopolitan, mas também outro cujo nome não sei e um mojito para o cavalheiro que acompanhou as donzelas.

De entradas houve: Duck rolls, Chicken skewers, Fish cakes, Soft shell crab, Yellow Fin Tuna tartar, Spicy Duck

De pratos: Garlic and pepper king prawns (Wok fried with red chili),

Champagne grilled lamb cutlets (Oven grilled to perfection) e

Massaman beef curry (With fresh spicy Thai herbs), acompanhados de jasmine rice & vegetables.

Para sobremesa: Fresh pear (Glazed with white wine, amaretto & spices)
Só achámos a sobremesa muito doce… de resto tudo maravilhoso!

E a seguir, uma vez que o bar no r/c estava ruidoso e o Momo mesmo em frente estava cheio, fomos parar ao American Hotel para uma rodada de cocktails de nome e composição complicada. Um brinde à amizade e ao convívio!

terça-feira, outubro 14, 2008

Timeout – Amsterdam


Já saiu o primeiro número e não desilude. Para me manter informada e descobrir ainda mais desta cidade multi-cultural, tornei-me assinante!

segunda-feira, outubro 13, 2008

Appelmoes - puré de maçã

Ainda bem que já consigo escrever com acentos, cada vez que escrevia maçã era difícil de me fazer entender...
Adoro appelmoes, puré de maçã. A acompanhar carne, simples, com canela, com côco ralado... às colheradas :D
Por cá come-se muito, mas só recentemente redescobri esta maravilha, obg R!

Tentei fazer, parecia fácil e uma receita era simples. Mas não estava a correr bem, talvez por eu ter o triplo da quantidade das maçãs, o micro-ondas não estava a mostrar resultados imeditados.
Levei tudo ao lume num tacho e adicionei alguma água, mas sem grandes certezas. Tenho de pedir outra receita, para poder juntar o pau de canela e um saquinho de chá aromático.

É saudável, leva muito pouco açúcar.
Yummi!!!

sexta-feira, outubro 10, 2008

O Outono já se sente

Já houve dias de frio com menos de 10 graus e liguei o aquecimento.
Já houve uma semana de muito vento e chuva.
Já houve um sábado com chuva sem interrupção, o que significou que foi mais precipitação num dia que num mês em algumas cidades. Mas esta semana tem estado sol e maioritariamente céu azul!
Já tenho trocado as havaianas pelas pantufas quentinhas, tem dias, eu tento resistir.
E hoje de manhã enquanto pedalava os meus olhos tiveram um encontro imediato com uma folha que caía de uma árvore...
Já estamos no Outono!

quinta-feira, outubro 09, 2008

Concertgebouw

A visita ao Concertgebouw (“edifício de concertos”) foi inesquecível. Descobri que havia visitas guiadas numa 6f, mas acabavam no Domingo, tinham durado todo o mês de Agosto.

Fui no último dia e era a única pessoa, por isso o guia falou em inglês só para mim. Pude tirar fotografias e satisfazer curiosidades, foi muito interessante!Já não me lembro dos pormenores todos, pontos históricos. Mas fiquei com a ideia de que foi criado por “inveja” de Utrecht ter um espaço digno de música e Amesterdão não ter... Havia o Felix Meritis mas era muito pequeno, ainda assim, a sala oval pequena do Concertgebouw foi construída com base nessa referência e é virtualmente semelhante.
Abriu em 1888 embora sem o órgão gigante no interior, que veio depois de angariado dinheiro para o comprar.
A máquina não é boa em interiores e dizia que não se podia fotografar, mas eu como visitante com guia podia. Ainda assim, sentia-me invasora...
O órgão era gigante...
A acústica é supostamente tão boa, que há lugares na sala de onde não se vê o palco, mas o guia garante-me que se ouve na perfeição. E o palco também não fica num “extremo” da sala, há lugares atrás e mais acima da orquestra. Quando há concertos de jazz, usam cortinas de veludo para tentar ter um melhor som...
Como não havia muito dinheiro para a manutenção, nos anos 80 confirmaram que as fundações precisavam de obras, mas decidiram fazê-lo sem fechar a sala para espectáculos... Há uma inclinação para a direita a descer.
Vi os camarins, onde partes das paredes foram propositadamente deixadas com a construção original.

Em quadros nos corredores, há fotografias de época muito curiosas, com planos do edifício.

Os auditórios são também usados para outros fins, alugados para outros tipos de eventos, como desfiles de moda, bailes, recepções, combates de boxe...

Este elevador leva os instrumentos e adereços (cadeiras, bancos...) para o palco.

A sala dos pianos tem controlo de temperatura, mas o guia não hesitou em levantar a protecção do Steinway & Sons e eu podia tocar... E há aqueles músicos mais “preciosistas” que trazem o próprio piano, claro.

No sótão há uma imensidão de aparelhos... uns tubos enormes de sucção de ar, porque não há AC, a vibração ia influenciar a acústica... buracos com ligação directa à orquestra e a lugares da plateia... suportes dos candeeiros e lustres... madeira original na estrutura do edifício...

Em Abril quero ser espectadora de um concerto da Maria João Pires!